Tratados internacionais, atividades econômicas e formação do território brasileiro

O território de qualquer país no mundo é fruto de um processo histórico e social que envolve disputas muitas vezes armadas, mas também acordos e tratados. Ao longo de mais de 500 anos após a chegada dos portugueses ao Brasil, seu território foi se modificando pela ação de seres humanos como os bandeirantes, que se embrenhavam em direção ao interior, e aqueles que usaram o direito internacional em prol da melhor configuração territorial para o nosso país. Conheça um pouco desse processo observando a linha do tempo.

1494

Tratado de Tordesilhas

Foi o primeiro tratado entre espanhóis e portugueses com o objetivo de dividir as novas terras “descobertas”pelo Ocidente. Assinado antes da chegada dos portugueses à América, definiu um meridiano, conhecido como Meridiano de Tordesilhas, localizado a 370 léguas a oeste de Cabo Verde como o limite:a leste dessa linha, ficariam as terras portuguesas, e a oeste, as terras espanholas.

1534

Capitanias Hereditárias

Inicialmente, os portugueses não intensificaram o processo de colonização do seu território na América. Isso só ocorreu a partir de 1532, quando perderam parte dos seus domínios no Oriente e viram seus interesses serem ameaçados na América. Assim, nasceram as Capitanias Hereditárias, uma forma barata e rápida de a Coroa portuguesa garantir sua posse no Novo Mundo.

De 1634 a 1654

Invasões holandesas

Expressão da arquitetura holandesa na cidade de Recife.

Em 1634, os holandeses conseguiram tomar posse de diversas áreas produtoras de cana-de-açúcar no Nordeste brasileiro, mais notadamente nas cidades de Recife, PE, e São Luís, MA, chegando a formar um governo. Depois de 20 anos de ocupação, os holandeses foram derrotados pelos portugueses e deixaram essas terras, indo cultivar açúcar nas Antilhas, um arquipélago localizado no Caribe que passou a concorrer com o açúcar brasileiro no mercado internacional.

1750

Tratado de Madrid

No século XVIII, muitos portugueses e brasileiros partiam de cidades como São Paulo em direção ao interior do continente em busca de riquezas para serem exploradas. Com isso, acabaram desrespeitando o Tratado de Tordesilhas e invadiram terras que pertenciam aos espanhóis. Como o limite estabelecido pelo Tratado de Tordesilhas já não tinha mais significado prático, Portugal e Espanha firmaram um novo acordo na cidade de Madri, que delimitou boa parte das terras portuguesas que viriam a se tornar o Brasil. Observe no mapa como ficou a configuração do Brasil.

1822

Independência do Brasil

AMÉRICO, Pedro. Independência ou morte! (O Grito do Ipiranga). 1888. Óleo sobre tela, color., 415 cm × 760 cm. Museu do Ipiranga, São Paulo.

O grito do Ipiranga, quadro de Pedro Américo produzido para representar o momento da Independência brasileira em relação a Portugal.

O grito do Ipiranga, quadro de Pedro Américo produzido para representar o momento da Independência brasileira em relação a Portugal.

Durante o século XVIII, a economia brasileira experimentou uma pequena diversificação. No entanto, no fim do século, as minas de materiais preciosos começaram a se esgotar e o descontentamento com o governo português aumentou por parte da população. Após a Independência, o café passou a ser o principal produto de exportação brasileiro, garantindo a estabilidade econômica do país. Em 1888, a Lei Áurea libertou os escravos e a cafeicultura passou a ser realizada com base na mão de obra assalariada.

De 1851 a 1909

Barão do Rio Branco


Na virada do século XIX para o XX, o Brasil ainda mantinha muitas áreas de litígio com seus vizinhos, e o trabalho e a dedicação do diplomata José Maria da Silva Paranhos Júnior foram fundamentais para definir muitas dessas divergências territoriais em prol do Brasil. No final, ao consolidar nossas fronteiras, garantiu ao país uma área de 900 mil quilômetros, nas regiões de fronteira com nove diferentes países vizinhos.